Notícias

Novo Hospital Estadual deve atender em junho

Hospital Estadual Sorocaba

O funcionamento do novo Hospital Estadual de Sorocaba (também chamado Hospital Regional) foi prometido pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) para março ou começo de abril, mas deve ocorrer entre junho e julho. Segundo o contrato de gestão para serviços assistenciais “Bata Branca”, firmado com a organização social escolhida para administrar a unidade, ao qual o Cruzeiro do Sul teve acesso, serviços como atendimento ambulatorial, procedimentos e exames começarão a ser realizados somente naqueles meses.

Consultada, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo não respondeu aos questionamentos sobre o cronograma de datas, e limitou-se a informou que “a construção do novo Hospital Estadual de Sorocaba está em andamento e a previsão de conclusão é o primeiro trimestre de 2018. O investimento total para a implantação do novo serviço, incluindo obra civil, equipamentos médicos e mobiliários será de mais de R$ 269 milhões.”

“Localizado em uma área próxima à rodovia Raposo Tavares, o Hospital Estadual de Sorocaba será voltado ao atendimento de urgências e emergências e terá 260 leitos ativados progressivamente. As metas de produção estão estimadas no contrato e podem ser modificadas conforme a ativação da unidade.”

Divergências

Quem alertou para a divergência de prazos foi a vereadora Iara Bernardi (PT) durante audiência pública de prestação de contas da Secretaria de Saúde do Município realizada nesta quarta-feira (28), na Câmara. “Embora o governo do Estado já esteja repassando recursos à gestora a título de custeio, o contrato é claro ao prever que os serviços de atendimento começam em junho e julho.”

Durante a reunião presidida pelo vereador Renan Santos (PC do B), foram apresentadas as contas do 3º Quadrimestre de 2017 da Pasta. Segundo relatado, as despesas da Secretaria da Saúde no ano passado somaram R$ 408,2 milhões, o equivalente a 29,47% do total arrecadado pelo município. O valor aplicado na área é 96,52% maior do que o mínimo obrigatório, de 15%. Os gastos da secretaria com folha de pagamento e encargos totalizaram R$ 265,4 milhões, o que corresponde a 52% do seu orçamento.

Ainda conforme a Secretaria, em 2017 foram realizadas mais de um milhão de consultas médicas, das quais 514,6 mil da atenção básica; 216,3 mil da especializada e 876,2 mil de urgência e emergência. A vereadora Iara reclamou que não foram apresentados comparativos que ajudassem a avaliar melhor o quadro.

Policlínica

A parlamentar questionou também boatos de terceirização da Policlínica e o secretário Ademir Watanabe confirmou a intenção de realizá-la. Já em relação aos repasses realizadas pela Câmara em 2017 à Prefeitura a parlamentar disse que os valores não teriam sido integralmente destinados à Santa Casa. Ela também solicitou que a secretaria encaminhe à Câmara informações sobre qual montante foi destinado a saldar dívidas do hospital.

Watanabe falou da situação da Policlínica, lembrando que a unidade está instalada em prédio tombado que precisa passar por reformas urgentes. Ele acrescentou que estuda alternativa para atendimento dos pacientes. Ele também se manifestou sobre a desativação, no dia 7, do Hospital Vera Cruz. Disse que o hospital será fechado e os pacientes encaminhados às residências terapêuticas. Aqueles que ainda dependem de tratamento, “pouco mais de dez”, seguirão para unidades administradas pelo governo estadual.

Fonte – Cruzeiro do Sul